Levi Torres Madeira

 Oftalmologista e Escritor de Poemas em Cordel

Textos


PRECISO REENCARNAR
 
Imagine-se agora numa longínqua estação
Precisa urgente viajar, mas tem grande multidão
Apenas um pode seguir naquele singular vagão
O jeito é entrar na fila e esperar uma ocasião
 
          Mas nesta fila não se pode aos outros ultrapassar
          Nem ficar sem fazer nada enquanto vai esperar
          Muito tempo de espera nem adianta lamentar
          Anos ou séculos se passam até você embarcar
 
O tão esperado dia finalmente acontece
A viagem dura muito então você adormece
Para caber neste vagão reduzido permanece
E num processo especial de tudo você esquece
 
          Ao chegar do outro lado bem pequenino está
          De cuidados importantes vai agora precisar
          Pai e mãe são os tutores que estão a esperar
          Recebendo como filho e nova vida ensinar
 
Este é um grande passo para nossa redenção
A viagem tão esperada é uma outra encarnação
Técnicos do além organizam toda esta operação
São espíritos abnegados em prol da evolução
 
          Durante o sono são levados futuros pais a opinar
          Se aceitam aquele filho prometendo dele cuidar
          O perispírito é reduzido para de novo encarnar
          É ciência divina atuando num ato de deslumbrar
 
Pensando por um momento exercitando a razão
É fácil concluir se prestar bem atenção
O embarque daquela viagem é a concepção
E o útero da mulher é o aconchegante vagão
 
          Muito se questiona por que o esquecimento
          Foi uma bênção dos céus e um divino acalento
          Com remorsos dos seus erros e pelo sofrimento
          O esquecimento é terapia é o melhor tratamento
 
Com amnésia do mau que fez noutra encarnação
Somado ao amor dos pais e de outra geração
E até a nova roupagem contribui na educação
Pra elevar aquele ser e melhorar sua evolução
 
          Escolhida pelo Supremo para esta grande missão
          A mulher foi a eleita e tem divina proteção
          Gera o filho e o educa e do peito dá nutrição
          Por meio dela Deus promove a nossa evolução
 
Protegido segue a viagem muito bem aconchegado
Ainda está bem pequenino e necessita de cuidado
Espírito influindo no corpo e a ele sendo moldado
E mesmo diminuto já faz planos pro outro lado
 
          Nove meses é o tempo que a viagem vai durar
          Nada pode acontecer que ao vagão vá lesar
          E aquele pequeno ser concentrado vai estar
          Desprendendo energias para a vitória alcançar 
  
Imagine o sofrimento e a grande decepção
Se alguém tentar furar aquele precioso vagão
Interrompendo a viagem e toda determinação
De renascer novamente pela reencarnação
 
          Quando isto acontece vem forte perturbação
          Aquele pequeno ser sofre grande desilusão
          Não raro pode vir mesmo para uma obsessão
          Daquele espírito sobre quem abortou sua gestação
 
Precisamos rapidamente este processo entender
Está bem claro e os espíritos vêm sempre a nos dizer
Aborto é crime mui perverso é a morte de um ser
É assassinato covarde a quem não pode se defender
 
          Ao defender o aborto dizem pra justificar
          O corpo é da mulher e a ela deve julgar
          Se mata ou não o seu filho para o corpo preservar
          Na cura deste remorso muitos séculos vão levar
 
Muitos são os métodos pra evitar concepção
Se não desejar filhos evite, mas aborto é traição
É um filho que lhe veio pra receber proteção
Como então assassinar um filho do coração?
 
          O médico de Deus recebe esta importante missão
          Salvar vidas com carinho e reparar uma lesão
          Amenizar os sofrimentos e promover a boa ação
          Cumprindo bem o seu papel já tem boa reputação
  
Aquele que deste nobre caminho se desviar
Interrompendo a evolução, e a morte provocar
Abortando inocentes e ao perispírito danificar
O que o espera no além, fortuna não vai salvar
 
          No momento do aborto, é grande a inquietação
          O perispírito se deforma pela força da lesão
          Recolhido pelos técnicos da reencarnação
          Aquele espírito segue então para a recuperação
 
O livre-arbítrio não deve a outro prejudicar
Quero vida, vida sim, preciso reencarnar
Diz em suave melodia, tentando se expressar
O feto tão pequenino, numa canção de ninar

____________________________________________________________

O autor é Médico Oftalmologista

Acesse: www.levimadeira.com.br

Site do Escritor: www.levimadeira.recantodasletras.com.br

Levi Madeira
Enviado por Levi Madeira em 30/07/2011
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Levi Madeira - site www.levimadeira.recantodasletras.com.br ). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Site do Escritor criado por Recanto das Letras
Obrigado pela visita e volte sempre!